Central de Atendimento:

11 3346-2766

O Sindicato está preocupado com o leilão da Eletropaulo

22/05/2018

O Sindicato está preocupado com o leilão da Eletropaulo

 

O Sindicato dos Eletricitários do Estado de São Paulo, atento a todas as informações de interesse Público, de seus filiados e dos trabalhadores de uma maneira geral, informa:

 

1. Que acompanha com vivo interesse as negociações e todas as implicações da venda do controle acionário da Eletropaulo;

 

2. Que considera insustentável a situação dos trabalhadores das empresas prestadoras de serviço da Eletropaulo, uma vez que as empresas não recebem suas faturas de forma rotineira. Segundo elas com diversas ingerências na gestão dos contratos, o que vem causando prejuízos indiretos aos trabalhadores.

 

3. Que vê com preocupação a intervenção da CVM, cuja postura em vários episódios desde que o processo começou, revelou sempre uma tentativa de provocar uma valorização excessiva das ações da empresa para os acionistas que vão embora, sem o devido cuidado para garantir valor para a própria empresa concessionaria.

 

4. O Sindicato também vê com preocupação a disputa entre as empresas Neoenergia (brasileira) e Enel, empresa sob controle do Governo Italiano, além de muita especulação referente a empresas estatais Chinesas que até o momento não se materializou em interesse efetivo. Por mais que as regras capitalistas sejam liberais, os eletricitários entendem que a transferência do controle da principal distribuidora de energia para empresas estrangeiras, inclusive estatais deveria ser observada com atenção. Trata-se de passar o controle do maior parque industrial do país para mãos estrangeiras, sem o devido cuidado com a nossa soberania.

 

5. Os eletricitários também veem com desconfiança a postura do governo federal. Ele é o maior acionista da AES Eletropaulo com mais de 18 % via BNDESPAR e quase 8 %, via Tesouro (a AES tem próximo de 17%) e assiste de forma passivel este embate entre as duas empresas. O próprio Ministro de Minas e Energia Moreira Franco vem se comportando como se a venda da Eletropaulo fosse um assunto apenas do Estado de São Paulo e não dogoverno federal, como se a União não fosse sócia da empresa.

 

6. Os trabalhadores eletricitários exigem transparência nos trâmites e nas negociações.

 

Não podemos tolerar que propostas oportunistas, que em nosso entendimento, visam unicamente dispor desta gigantesca empresa para fomentar e desenvolver mercados de fornecedores em outros locais do globo, que não o parque industrial brasileiro. Em outros momentos de negociação do controle acionário da Eletropaulo já vimos movimentos suspeitos, como divulgados pelo jornal Financional Times em maio de 2003 que ao longo do tempo foram reconhecidos inclusive fora do País, O Governo brasileiro deveria dar maior atenção a esta negociação, pois um erro neste processo poderá prejudicar os maiores polos industriais do País no que tange fornecimento de Energia.

 

7. Assistimos com espanto quando a Neonergia estava disposta desembolsar R$ 6 bilhões divididos entre um aumento de capital (R$ 1,5 bilhões) e a compra de ações que lhe dessem o controle da empresa.

O que nos preocupa não é a troca de controlador que a Eletropaulo possa sofrer mas os reflexos desta disputa sem garantias nenhuma de investimento direto na própria empresa concessionaria. Esta movimentação que infla o preço das ações só interessa a empresa americana AES que aparentemente se retiram e ao Governo Federal que está vendendo até a alma para fechar o seu caixa.

 

8. Cabe lembrar que a Eletropaulo já foi um excelente negócio para a Americana AES quando ela não cumpriu os pagamentos iniciais da compra e o Governo Federal aceitou um acordo de acionistas receber parte da Empresa como pagamento da dívida, agora a Empresa parece se despedir do negócio auferindo resultados estratosféricos nas suas ações. Alguém pagará esta conta.

 

9. Nós, eletricitários estamos apreensivos com o futuro desta concessionaria pois o histórico de algumas empresas interessadas na compra não nos traz boa perspectiva passando por casos de corrupção, problemas graves na relação com Sindicatos, e na gestão de pessoal, descumprimento de conquistas históricas nas classes trabalhadoras nos países que passaram e demissões em massa .

 

Dito isto o que queremos são garantias de continuidade na prestação de serviço a toda população na área de concessão desta empresa, garantias aos trabalhadores para que não paguem o pato com esta supervalorização da negociação da empresa, pois todo excedente pago nesta negociação será buscado ou da população com perda de qualidade ou redução de investimento na rede com possível queda de qualidade no serviço e ainda com a penalização do quadro de profissionais da Empresa, já assistimos este filme antes é inadmissível ver uma concessão tão importante para a região com maior relevância para o PIB nacional ser passada de mão em mão, como qualquer mero negócio e o Governo Federal não cumprindo seu papel de gestor do Estado nem se manifesta.

 

Esse leilão afetará os trabalhadores da Eletropaulo que estão em meio a negociação do Acordo Coletivo de Trabalho. Também precisamos garantir que os trabalhadores do setor elétrico trabalhem com tranquilidade e segurança, pois os riscos cotidianos são enormes. Queremos coerência e cuidado com a coisa pública o povo não aguenta mais tarifas tão altas e tanto desemprego!

 

Por Eduardo V.C. Annunciato (Chicão)

Presidente do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo

 

CLIQUE AQUI

Categorias